Lori Loughlin, de ‘Fuller House’, pode pegar (bastante!) mais tempo de prisão do que Felicity Huffman em caso de fraudes em universidades; entenda



Lori Loughlin e seu marido, Mossimo Giannulli, podem pegar muito mais tempo de prisão do que Felicity Huffman no caso do escândalo de admissão em faculdades. De acordo com o TMZ, o casal teria pago 500 mil dólares como suborno para ter suas duas filhas na Universidade do Sul da Califórnia. Por isso, qualquer acordo judicial elevaria a sentença mínima de prisão de dois anos a um máximo de dois anos e meio.

Enquanto isso, Felicity, que admitiu sua culpa ao pagar 15 mil dólares para aumentar as notas da filha, pode pegar apenas quatro meses de prisão depois de aceitar um acordo judicial.

Lori Loughlin pode pegar de 2 a 2 anos e meio de prisão por caso do escândalo de admissão das filhas em faculdades. (Foto: Getty)

Segundo o TMZ, 37 indivíduos acusados, incluindo Lori e seu marido, receberam ofertas especiais, com sugestões variadas para sentenças de prisão. Em grande parte, elas foram determinadas pelo valor que pagaram em propinas e por assumirem ou não a responsabilidade pelo que fizeram.

Ainda segundo as fontes do site, os promotores deram um ultimato a todos os réus para que cheguem a um acordo judicial rapidamente, caso contrário terão de enfrentar um júri federal. Assim, outras acusações podem ser acrescentadas, inclusive de lavagem de dinheiro, o que aumentaria significativamente o tempo mínimo de prisão.

Relembre o caso

Em março, Felicity Huffman e Lori Loughlin – de “Full House” e “Fuller House” – foram indiciadas por um esquema de propina envolvendo aprovações em faculdades de elite americanas. O TMZ informou que, no total, cerca de 25 milhões de dólares foram pagos por 50 acusados, para que seus filhos estudassem em instituições como Stanford, Yale e outras.







As investigações descobriram uma rede de pais que pagaram milhares de dólares para que um homem aumentasse a chance de seus filhos entrarem nas universidades. Para isso, pessoas eram pagas para fazer os testes de admissão, administradores de provas eram subornados, além de subornos a técnicos e administradores das próprias instituições para que identificassem os jovens como atletas.

Felicity e William H. Macy, de “Fargo” e “Jurassic Park 3”, entraram no esquema fraudulento pagando 15 mil dólares pela aprovação de sua filha mais velha. A acusação afirma que a garota teve o dobro de tempo dos demais para realizar a avaliação, e o inspetor teria secretamente corrigido suas respostas posteriormente. Ela teria recebido uma nota de 1420 pontos em seu exame, com um acréscimo de 400 pontos.

Já Lori e seu marido, Mossimo Giannulli, supostamente teriam pago 500 mil dólares para ter suas duas filhas na Universidade do Sul da Califórnia. De acordo com os policiais federais, Mossimo também teria enviado foto das filhas praticando exercícios, o que ajudaria a criar seu perfil atlético, aumentando suas chances. Além disso, o FBI teria o registro de ligações em que ambas as atrizes comentaram sobre o esquema com uma testemunha.

(Via: TMZ)

(Vimos em Hugo Gloss)

Compartilhe!