Em nova acusação, Lori Loughlin é indiciada por lavagem de dinheiro em escândalo de fraudes em universidades; entenda



A polêmica não acaba! A novela do escândalo de fraudes em universidades ganhou mais um capítulo nesta terça-feira (09). Lori Loughlin e seu marido, Mossimo Giannulli, foram agora indiciados por lavagem de dinheiro. Os dois estão entre um grupo de 16 pais que receberam essa segunda acusação, de acordo com o E! News. Além disso, a estrela de “Full House” e “Fuller House” está entre os envolvidos em um esquema de compra de vagas em diversas faculdades.

A informação foi divulgada pelo Departamento de Justiça em um comunicado à imprensa. “Dezesseis pais envolvidos no escândalo de admissões em universidades foram acusados hoje em Boston, em um segundo indiciamento com conspiração para cometer fraude e lavagem de dinheiro, em conexão ao esquema usando subornos para burlar os exames de admissão em universidades, e facilitar a entrada de seus filhos em faculdades e universidades com corte seletivo, como novatos atléticos”, disse a nota.

Lori Loughlin pode pegar até 20 anos de prisão por lavagem de dinheiro no escândalo de admissão das filhas em faculdades. (Foto: Getty)

A justiça ainda divulgou que a pena máxima apenas por esse crime pode chegar a 20 anos de prisão. Além disso, Lori deve ter de pagar uma multa de 500 mil dólares – quase 2 milhões de reais – ou então, duas vezes o valor que foi envolvido na lavagem de dinheiro. Como noticiamos hoje, isso tenderia a acontecer, caso os réus não chegassem rápido a um acordo judicial.

Relembre o caso






Em março, Lori Loughlin e Felicity Huffman – de “Desperate Housewives” – foram indiciadas por um esquema de propina envolvendo aprovações em faculdades de elite americanas. O TMZ informou que, no total, cerca de 25 milhões de dólares foram pagos por 50 acusados, para que seus filhos estudassem em instituições como Stanford, Yale e outras.

As investigações descobriram uma rede de pais que pagaram milhares de dólares para que um homem aumentasse a chance de seus filhos entrarem nas universidades. Para isso, pessoas eram pagas para fazer os testes de admissão, administradores de provas eram subornados, além de subornos a técnicos e administradores das próprias instituições para que identificassem os jovens como atletas.

Lori e Giannulli, supostamente teriam pago 500 mil dólares para ter suas duas filhas na Universidade do Sul da Califórnia. De acordo com os policiais federais, Mossimo também teria enviado foto das filhas praticando exercícios, o que ajudaria a criar seu perfil atlético, aumentando suas chances. Além disso, o FBI teria o registro de ligações em que ambas as atrizes comentaram sobre o esquema com uma testemunha.

Felicity Huffman e o marido deixam a Corte em Boston, após a atriz responder às acusações de envolvimento no escândalo de admissões em universidades. (Foto: Paul Marotta/Getty Images)

Já Felicity e William H. Macy, de “Fargo” e “Jurassic Park 3”, entraram no esquema fraudulento pagando 15 mil dólares pela aprovação de sua filha mais velha. A acusação afirma que a garota teve o dobro de tempo dos demais para realizar a avaliação, e o inspetor teria secretamente corrigido suas respostas posteriormente. Ela teria recebido uma nota de 1420 pontos em seu exame, com um acréscimo de 400 pontos.

E nesta segunda-feira (08), a intérprete de Lynette Scavo em “Desperate” declarou-se culpada. Em comunicado à revista People, ela pediu desculpas pelo erro e comentou sua acusação, dizendo estar envergonhada e arrependida. “Meu desejo de ajudar minha filha não é desculpa para quebrar as leis ou me envolver em desonestidade”, escreveu. Pelo visto, essa história ainda vai longe…

(Vimos em Hugo Gloss)

Compartilhe!